Professor, economista e blogger assume a liderança do mais recente partido político em Portugal

Carlos Guimarães Pinto é o novo presidente da Iniciativa Liberal (IL), o mais recente partido político português, eleito na Convenção realizada no dia 13 de Outubro em Montemor-o-Velho, distrito de Coimbra.

Economista de formação, viveu grande parte da sua vida adulta no Dubai, tendo trabalhado como consultor de empresas em mais de 20 países espalhados por 4 continentes. Actualmente, é investigador na área da Economia Internacional e dá aulas como professor convidado no Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica e na National Economics University de Hanoi, Vietname. É um dos liberais mais respeitados e influentes do país, sendo um dos autores do livro “O Economista Insurgente: 101 perguntas incómodas sobre Portugal”.

“Acompanho o crescimento da IL desde o início. Foi com bastante entusiasmo, e um misto de provocação, que aceitei o convite e o desafio. A IL é um projecto único, que não aspira a exercer o poder, mas sim devolvê-lo aos indivíduos e às comunidades locais. Pretendemos também mudar a forma como as pessoas veem a política. A descentralização, a liberdade de escolha e a redução da carga fiscal serão as nossas prioridades.”, afirma Carlos Guimarães Pinto, presidente da IL.

Assente no Programa Político da IL e na Moção “Liberalizando por aí!”, com que se apresentou na Convenção, o novo presidente da IL exemplifica “Ao contrário do que muitos pensam, o Estado é hoje uma fonte de desigualdade e não a solução para ela. Quando a qualidade do ensino a que uma criança tem acesso depende da morada dos seus pais, ao ponto de termos pais desesperados a dar moradas falsas para aceder às melhores escolas, o estado está a contribuir para perpetuar desigualdades.

Quando o Estado vende o SNS como suficiente para os contribuintes, mas oferece um sistema de saúde alternativo aos seus funcionários, está a contribuir para a desigualdade. Quando o estado financia a mobilidade nas duas grandes cidades, mas taxa fortemente o principal meio de transporte disponível fora delas, está a contribuir para desigualdades regionais. Há soluções liberais para estes problemas que não só tornarão o sistema mais eficiente como menos gerador de desigualdades artificiais.”

“Como muitos liberais, lamentei a situação que levou à demissão, em Agosto, do anterior presidente, Miguel Ferreira da Silva, mas esse é um assunto concluído e que acabou por se constituir numa oportunidade para renovar os órgãos internos. No passado sábado foram eleitas mais de 70 pessoas para os mais diversos cargos, demonstrando que o partido tem uma vitalidade inigualável.” Conclui ainda “pretendemos fazer história e ter um partido liberal no boletim de voto pela primeira vez nas eleições do próximo ano.”

Em 2019, a Iniciativa Liberal irá concorrer às Eleições Europeias, Legislativas e Regionais na Madeira.

Iniciativa Liberal





Faz parte de um projeto que reforça os valores liberais essenciais para o progresso de Portugal


Pin It on Pinterest