Caro Dr. José Pacheco Pereira,

Tendo lido hoje o seu artigo na revista SÁBADO que incluiu o Iniciativa Liberal entre os partidos “que nunca foram às urnas, e, que se saiba, têm poucos ou quase nenhuns militantes” e que mesmo assim tiveram “capacidade financeira para encher o país de outdoors que são uma forma de publicidade muito cara”, dizendo ainda que teríamos “mais cartazes diferentes do que PSD e a CDU e quase tantos como o PS ou o CDS”, gostaria de esclarecer o seguinte:

  1. A Iniciativa Liberal tem hoje 400 membros, com quotas variadas, mas cuja quota média anda por volta dos 70 euros anuais.
  1. O orçamento total de campanha do Iniciativa Liberal é de 28 mil euros, dos quais cerca de 24 mil em outdoors.
  1. Por comparação, o PS orçamentou despesas de 1 milhão e 250 mil euros, o PSD 890 mil euros, a CDU 850 mil euros, o BE 570 mil euros, o CDS 312 mil euros, a coligação Basta 500 mil, o Aliança 350 mil e o PDR 82 mil euros. Todos estes partidos orçamentaram despesas para cartazes superiores aos da Iniciativa Liberal. O valor para outdoors mais baixo foi o do PDR que mesmo assim orçamentou mais do dobro da Iniciativa Liberal.
  1. Cerca de 90% das nossas despesas são pagas pelas contribuições dos membros sob a forma de quotas e donativos.
  1. A única organização internacional a que pertencemos, o ALDE Party, recebe fundos nossos sob a forma de uma quota anual e não o oposto.
  1. Ao contrário dos outros partidos, também já anunciámos que recusaremos qualquer subvenção pública de campanha que nos seja atribuída. A forma de atribuição de subvenções públicas de campanha são um factor desequilibrador e distorcem a forma como as campanhas são conduzidas. Mereceriam muito mais atenção do que a que têm.

Estando esta situação esclarecida, tomarei então por elogio a sua percepção de que a Iniciativa Liberal tem mais cartazes do que outros partidos. Entenderei essa sua percepção como um sinal de que as nossas mensagens se fazem notar mais e que, portanto, mesmo tendo sido pouco, foi dinheiro bem investido.

A nossa luta não é fácil, mas é uma luta necessária, como certamente concordará se não tiver mudado de opinião desde que em 2005 escreveu que “precisamos de mais liberalismo, de mais liberdade económica, de mais espírito empresarial”. Na altura tinha razão. E hoje ainda teria mais.

Melhores cumprimentos,
Carlos Guimarães Pinto
Presidente da Comissão Executiva do partido Iniciativa Liberal

P.S.: Aproveito para elogiar o trabalho realizado pela equipa do Ephemera para onde continuaremos com gosto a enviar todos os novos designs de outdoors e material de campanha para contribuir para o acervo.

SÁBADO, 24 de Maio de 2019