“Mário Centeno foi a prova final de que não há alternativa a ter contas públicas equilibradas. Até um Governo apoiado pelo PCP e Bloco de Esquerda estabeleceu como objectivo contas públicas equilibradas.”