Hoje é o dia da libertação de impostos. Até hoje, todas as horas que trabalhaste, tudo aquilo que recebeste foi para pagar impostos. Pagas impostos para trabalhar, para consumir, para te transportares, para aquecer a casa e para criar emprego. Isto se tiveres sorte. Não raramente também pagarás multas e coimas por pequenas faltas e atrasos. Muitas vezes coimas superiores ao imposto devido. Às vezes multas que não percebes ou não deverias ter recebido, mas que pagas na mesma porque te tomaria demasiado tempo a reclamar. O tempo é em si outro imposto escondido do estado. Portugal está entre os países onde a burocracia leva mais tempo, onde se demora mais tempo a pagar impostos ou a cumprir obrigações legais, como a renovação do cartão de cidadão. Tempo que podia passar a trabalhar, com a sua família ou nas atividades de lazer que mais gosta. Se o tempo que cada um oferece ao estado fosse contado, provavelmente o dia da libertação de impostos seria umas semanas mais tarde.

Depois de entregar o dinheiro ao estado o contribuinte deixa de ter qualquer papel na decisão de onde esse dinheiro é gasto. Se não tiveres dinheiro para pagar novamente pelos serviços que já pagaste em impostos, tens que ir aos hospitais que os políticos dizem que deves ir (mas que eles próprios não vão) e tens que meter os teus filhos nas escolas onde te dizem para os meteres (apesar de eles meterem os deles noutras escolas).

Os deputados que a Iniciativa Liberal eleger em Outubro serão a linha de defesa dos contribuintes. Pela redução da carga fiscal, pelo fim da opressão fiscal e pela liberdade de escolha. Lutarão para que o dia da libertação de impostos seja antecipado nos próximos anos, para acabar com a ditadura fiscal que persegue contribuintes e para que os contribuintes tenham uma palavra a dizer na forma como esses impostos são gastos.

Todas as segundas-feiras são complicadas. Esperamos que saber que nesta segunda-feira já estarás a trabalhar para ti e não para o estado te faça sentir melhor. Bom fim-de-semana!