Algumas citações dos dois discursos que o novo Presidente da Iniciativa Liberal, Carlos Guimarães Pinto, fez na II Convenção da Iniciativa Liberal

Há muitos liberais em Portugal que não se reconhecem como tal. Há pessoas que partilham causas inerentemente liberais como a descentralização, a liberdade de escolha ou a redução da carga fiscal.

Qualquer pessoa que defenda um Portugal mais liberal, mesmo que apenas em áreas específicas deve ser um aliado do liberalismo e da Iniciativa Liberal. Ao contrário de outros partidos da praça, a Iniciativa Liberal é liberal em tudo: na economia, nos costumes e na política.

A Iniciativa Liberal deverá ser, acima de tudo, a maior defensora dos direitos do indivíduo no sistema partidário português, mesmo que isso aliene uma boa parte do eleitorado que defende o poder do estado.

Não tenham receio! Quando vos chamarem fascistas por defenderem mais liberdade na economia ou idiotas úteis do bloco por defenderem mais liberdade individual usem essas acusações ao peito. São medalhas! Ser insultado por defender a liberdade é o melhor elogio que se pode ter.

A IL juntará todos aqueles que concordem com o objetivo de tornar Portugal mais liberal em qualquer área. Mesmo aqueles que só se empenhem numa área serão bem-vindos desde que aceitem e tolerem que o partido defenda mais liberdade nas três áreas: económica, política e social.

A Iniciativa Liberal é, por isso, um projecto único. Não é de esquerda, nem de direita. É liberal (ponto). A nossa luta deve também ser contra estatistas de todos os partidos, sejam de direita ou de esquerda.

É um projecto único porque não é, não vai ser um partido que simplesmente aspire a exercer o poder. Nenhum Partido Liberal o poderia ser. O Liberalismo é uma ideologia de desconstrução do poder central, de devolução do poder ao indivíduo, da retirada do estado das nossas vidas.

As ideias são o mais importante num partido político, especialmente num partido político emergente. São mais importantes que o contexto, que as pessoas e mesmo mais importantes que os resultados eleitorais. As ideias têm o condão de alterar mentalidades e mudar a cultura.

Somos liberais na economia, defendendo a redução da carga fiscal e da burocracia, e a liberdade de escolha na saúde e educação. Somos liberais na política, defendendo um sistema aberto, descentralizado, responsabilizador e respeitador da proporcionalidade eleitoral.

Somos liberais nos costumes, rejeitando qualquer tipo de discriminação legal, positiva ou negativa, com base em sexo, raça, orientação sexual, religião ou classe social, e rejeitando a engenharia social.

No próximo ano iremos fazer história. Pela primeira vez teremos um partido liberal no boletim de voto.

Iniciativa Liberal

Faz parte de um projeto que reforça os valores liberais essenciais para o progresso de Portugal


Pin It on Pinterest