1. Todos os anos a RTP absorve mais de 200 milhões de euros dos contribuintes que é pago de forma obrigatória nas facturas de electricidade.

2. Esse dinheiro é justificado com a necessidade de prestar serviço público de televisão, apesar de ninguém perceber a diferença entre o serviço prestado pela RTP1 e os outros canais generalistas. Também é difícil vislumbrar o serviço público do seu canal de notícias em relação a outros canais do género.

3. É difícil para alguém justificar este desperdício. No entanto, nenhum governo de nenhuma área política teve a coragem de acabar com este esbulho fiscal aos portugueses ou sequer justificar a sua existência.

4. Nenhum governo se arrisca a fazê-lo porque a privatização de um canal da RTP aumentaria a concorrência no mercado da publicidade, afectando as receitas dos outros canais de televisão, assim como a restante imprensa. Como a imprensa é fundamental para a eleição e reeleição, todos os governantes que ponderaram a privatização (mesmo que parcial) da RTP cederam à pressão dos órgãos de comunicação social para não o fazer.

5. A Iniciativa Liberal defende a privatização imediata da RTP1 e a abertura da TDT a mais canais, retirando o oligopólio da publicidade na TDT à SIC e à TVI. Os portugueses só teriam a ganhar com mais diversidade e menos influência política nos grupos de comunicação social.

6. Devem ainda ser avaliados todos os canais e plataformas da RTP, televisão, rádio e internet, analisando se cumprem o papel diferenciador e de serviço público que é a sua missão.

7.Sabemos que esta posição não é popular entre os meios de comunicação social e que isso tem e continuará a ter consequências na cobertura que nos é dada.Mas política sem princípios,subordinada a grupos de pressão corporativistas, nunca será o nosso caminho.

#JuntosSomosAlternativa #PortugalMaisLiberal

Iniciativa Liberal

Faz parte de um projeto que reforça os valores liberais essenciais para o progresso de Portugal


Pin It on Pinterest