TEMPO DE ANTENA LIBERAL

PRÓXIMOS EVENTOS

Próximas exibiçõescalendário

POR UMA EUROPA MAIS LIBERAL

O futuro da Europa não se constrói com os rostos políticos do passado. Esta é uma lista que junta liberais de todo o país, de várias origens sociais e áreas profissionais, na sua larga maioria estreantes na política.

A lista do partido Iniciativa Liberal às Eleições Europeias, o primeiro acto eleitoral ao qual o partido se vai apresentar, tem uma média de idade de 34 anos, paridade de género e vários candidatos independentes (5 nos primeiros 7 lugares).

Todos com um único objectivo: contribuir, a partir do Parlamento Europeu, para termos mais liberalismo em Portugal e na Europa.

PROGRAMA ELEITORAL

INICIATIVA LIBERAL

Programa Eleitoral
Europeias 2019

Liberdade, Tolerância e Prosperidade

UMA EUROPA DAS LIBERDADES

A União Europeia, um projecto de génese liberal, tem sido fundamental na melhoria da qualidade de vida de todos os europeus, incluindo os portugueses.

O mercado aberto, a cooperação voluntária, a liberdade na diversidade, o convívio tolerante e a concorrência entre diferentes visões – valores liberais – proporcionaram o melhor período da nossa história para se viver.

O Partido Iniciativa Liberal é o partido da Liberdade. Rejeitamos os extremismos antieuropeístas e os excessos integracionistas. Queremos preservar a União Europeia aprofundando o respeito pelos direitos individuais.

– LIBERDADE ECONÓMICA e Prosperidade
– LIBERDADE SOCIAL e Tolerância
– LIBERDADE POLÍTICA e Pluralismo

Instituições Democráticas e Liberais

Queremos uma União Europeia de poderes delimitados, exercidos democraticamente, no respeito dos Direitos Humanos e do Estado de Direito.

Europa de Estados Soberanos

Queremos uma União Europeia de Estados soberanos que se juntam voluntariamente por uma causa maior, e rejeitamos a criação de um super-Estado Europeu, com impostos, negócios estrangeiros, exército, e outros poderes soberanos.

Integração Voluntária

O Projecto Europeu deverá compor-se de múltiplas experiência e iniciativas, às quais os Estados se juntam quando estão económica, social, e politicamente preparados. Se necessário, a integração europeia deverá realizar-se a 28 velocidades. Rejeitamos uma integração monolítica e ordenada de cima para baixo.

Subsidiariedade e Descentralização

O poder político e administrativo deve ser descentralizado, e exercido o mais próximo quanto possível dos cidadãos. O Projecto Europeu deverá consistir mais em colaboração e cooperação entre entidades nacionais e regionais, do que na integração institucional e centralização política a nível continental.

Liberalização

A União Europeia deverá promover a liberalização dos mercados nacionais e europeus. Não deve a União Europeia, nem os Estados-membros, favorecer ou prejudicar quaisquer agentes económicos, sociais e políticos.

Livre Comércio

A União Europeia deverá promover o livre comércio externo pela remoção progressiva de proteccionismos – apoios, impostos, barreiras diversas – que dificultam o acesso dos europeus aos mercados internacionais, e vice-versa.

Mercado único

A União Europeia deverá progressivamente integrar os seus mercados, abolindo barreiras e fronteiras legais e administrativas à livre concorrência e circulação de bens, serviços, capitais e trabalhadores.

Concorrência Fiscal

Queremos uma União Europeia caracterizada pela concorrência inclusivamente entre os Estados, para que os Estados sejam obrigados a prestar os melhores serviços pela menor carga fiscal. Somos pela diferenciação fiscal e pela autonomia dos Estados-Membros em assuntos fiscais. Queremos a protecção de zonas fiscais favoráveis e que estas sejam mais acessíveis ao mercado. Rejeitamos a uniformização de impostos nacionais, a criação de impostos europeus, ou o estabelecimento de um ministério europeu das Finanças.

Transparência

Queremos uma União Europeia mais transparente no exercício do poder político, com mais escrutínio, via Parlamento Europeu, dos poderes não eleitos. Defendemos o aumento de transparência nas actividades de lobby. Propomos ainda o reforço dos mecanismos referendários.

Desburocratização

Defendemos convictamente menos interferência de todos os níveis de governo na vida das pessoas e das empresas. Queremos reduzir fortemente a complexidade das regras europeias, e evitar abusos iliberais na transcrição nacionais de directivas. Consideramos ainda essencial reformas que possibilitem uma maior clareza de aplicação das regras europeias e que aumente o escrutínio das instituições europeias.

Pluralismo e Individualismo

Queremos uma União Europeia firme na defesa do Estado de Direito e dos direitos políticos das pessoas. Que defenda a liberdade de expressão, de associação, os direitos de propriedade e privacidade, e a autodeterminação dos indivíduos. Rejeitamos qualquer forma de intolerância, assim como rejeitamos políticas identitárias, porque ambas procuram dividir a sociedade. A nossa mensagem é de inclusão: todos os indivíduos devem ser iguais perante a lei, que deve abster-se de discriminações negativas ou positivas (como por exemplo políticas de quotas). A tolerância não deve estender-se a temas eticamente duvidosos ou a práticas iliberais sobretudo violentas.

Uma Europa Humana

Acreditamos no valor da dignidade humana e na obrigação humanitária básica de receber e proteger refugiados durante períodos de guerra. A Europa sempre esteve aberta ao mundo, mantendo relações previlegiadas com numerosas nações, e não pode fechar-se à imigração. Não-europeus que queiram vir de forma legal são bem-vindos à Europa. Compreendendo que a imigração excessiva pode sobrecarregar os sistemas sociais de cada país, defendemos a cooperação entre Estados-membros na gestão da capacidade de integração. Defendemos a necessidade de contrariar a imigração económica ilegal. Defendemos uma rápida integração social e económica de refugiados e imigrantes, evitando a criação de comunidades paralelas alheadas dos valores europeus.

Sustentabilidade

Defendemos uma Europa responsável com o Património e com o Ambiente. Sociedades liberais são mais prósperas, e sociedades prósperas são mais exigentes com o legado que deixam para a posteridade. Defendemos que a Europa seja líder, pelo exemplo, na criação de um futuro sustentável através da descentralização de abordagens políticas, e de soluções que mobilizem o poder do mercado concorrencial. Defendemos a mobilidade de estudantes e o reconhecimento de habilitações de trabalhadores; um mercado aberto de soluções tecnológicas; e a cooperação entre países, e entre públicos e privados, em matérias de investigação.

CANDIDATOS

Ricardo Arroja

Cabeça-de-lista

Ricardo Arroja é economista de profissão. Formado pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, administrador de empresas e consultor de políticas públicas sobre pequenas e médias empresas, leciona no ensino superior nos domínios da banca e das finanças. Comentador da RTP e colunista da imprensa económica desde há vários anos, autor de livro sobre a economia portuguesa, conta com perto de vinte anos de experiência no sector financeiro e na economia real.

Catarina Maia

Candidata #2, membro da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal

Catarina Maia, é Responsável pelo Serviço de Apoio ao Licenciamento do INESC TEC, professora convidada na U.Porto, e IPR Helpdesk Ambassador para Portugal. Ao longo da sua carreira, trabalhou em capital de risco, startups tecnológicas, multinacionais na área das ciências da vida, e fez investigação em imunologia em Portugal e no estrangeiro. É Mestre em Gestão pela Escola de Gestão do Porto (actual Porto Business School) e Licenciada em Microbiologia pela Escola Superior de Biotecnologia (UCP).

Nuno Morna

Candidato #3, membro do Conselho Nacional da Iniciativa Liberal e coordenador do Núcleo da Madeira

Nuno Morna é técnico de Informação e Comunicações Aeronáuticas na NAV Portugal e desenvolveu uma vasta actividade cultural como encenador, actor e produtor.

Ana Martins

Candidata #4, Independente

Ana Martins estuda Teoria Política na Universidade de Oxford, onde é também Assistente de Investigação no projeto ‘Histórias da Europa’ no âmbito do Programa Dahrendorf para o Estudo da Liberdade. É Europaeum Scholar, onde participa num projeto multidisciplinar dedicado à compreensão de diferentes perspectivas sobre a Europa. Estudou previamente Direito e Ciência Política na Universidade Católica Portuguesa e é natural da Ilha Terceira, Açores.

Gany Ferreira

Candidato #5, Independente

Gany Ferreira, 28 anos, licenciado em Economia, actor, modelo e músico

Joana Sequeira

Candidata #6, Independente

Joana Sequeira é criativa e produtora de conteúdos digitais com frequência em administração pública e políticas do território. De instagramer a youtuber, criou uma comunidade digital que inspira milhares de pessoas todos os dias há vários anos.

Rui Marrana

Candidato #7

Rui Marrana, Doutor em Direito e Professor Universitário. Membro do Conselho Científico e integra enquanto investigador, o CEJEA – Centro de Estudos Jurídicos Económicos e Ambientais. Foi Chefe de Gabinete do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça. Coordenador nacional da Cimeira Judicial Ibero-americana. Colaborou com o Ministério da Justiça – no IGFIJ (Instituto de Gestão Financeira e das Infra-estruturas da Justiça).

Maria Malhão

Candidata #8

Maria Malhão é a responsável pelo canal de parceiros no segmento de pequenas e médias empresas da Microsoft. Licenciada em Organização e Gestão de empresas pelo ISCTE, possui uma especialização em Marketing e uma Pós Graduação em Tecnologias de Informação. Ao longo da sua carreira de mais de 20 anos ligada às Tecnologias de Informação, passou por startups tecnológicas, ao Grupo Portugal Telecom (em Portugal e no Brasil) e a multinacionais americanas como Hewlett Packard e agora Microsoft.

João Serrenho

Candidato #9, Vice-presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal

João Luís Serrenho é formado em Engenharia na FEUP e MBA pela London Business School. Gestor na CIN.

Sara Jardim

Candidata #10.

Sara Luísa Jardim, Licenciada em Medicina Veterinaria e Master em Gestão Estratégica, trabalhou em serviços de utilidade pública, tendo depois ingressado como Diretora de Produção e Qualidade num Centro de Abate e Desmanche de Aves. Formadora em comunicação, liderança e desenvolvimento humano e diretora comercial de um grupo de inovação e tecnologia. Técnica especialista do comitê europeu de aves e ovos na Comissão Europeia.

Matheus Costa

Candidato #11. Membro fundador, membro do Conselho Nacional, e Coordenador do Núcleo de Juventude da Iniciativa Liberal

Matheus Costa é licenciado em Relações Internacionais pelo ISCSP-ULisboa, e encontra-se a concluir o mestrado em Economia Internacional e Estudos Europeus pelo ISEG-ULisboa, enquanto trabalha em Compliance no BNP Paribas. Foi ativo em órgãos de representação, associações e núcleos de estudantes desde o secundário. Foi Embaixador Jovem das Conferências do Estoril em 2017.

Olga Baptista

Candidata #12

Olga Baptista, Farmacêutica

Diogo Prates

Candidato #13

Diogo Prates, 36 anos, natural de Évora, licenciado em Fisioterapia e Medicina, Mestre em reabilitação Neurologica UCP/Essa, Interno de Medicina Geral e Familiar

Maria Castello Branco

Candidata #14

Maria Castello Branco, nasceu em Lisboa, onde estuda Ciência Política e Relações Internacionais. Liberal de coração desde que descobriu Hayek; liberal de paixão desde a Iniciativa Liberal.

João Ambrósio

Candidato #15

João Ambrósio tem 24 Anos, é Advogado Estagiário. Fruto da sua área de estudo, considera a instabilidade legislativa uma das principais causas de quebra de confiança nas instituições políticas.

Amanda Dias

Candidata #16

Amanda Dias, 22 anos, natural de Braga. Estudante de medicina em Coimbra.

Cristiano Santos

Candidato #17

Cristiano Santos, licenciado em enfermagem, enfermeiro no Hospital São João no Porto e enfermeiro formador em diversas instituições e módulos formativos.

Filipa Osório

Candidata #18

Filipa Osório, nasceu em Oeiras e mudou-se para o Brasil com 3 anos de idade. Viveu em São Paulo até 2003 e regressou a Portugal, vivendo em Lisboa até terminar o ensino secundário. Aos 18 anos mudou-se para Londres, onde fez a faculdade. Tirou o curso em Linguística e o mestrado em Antropologia Social e Cultural na University College London. Em 2018 regressou a Lisboa, onde trabalha como consultora numa empresa de tecnologias de informação.

João Pedro Silva

Candidato #19

João Costa Silva, Estudante de Mestrado em Relações Internacionais com Licenciatura em Ciência Política, ambos na Universidade do Minho. Interesses incluem Terrorismos e Contraterrorismo, Segurança, Resolução de Crises Civis, Política Externa da União Europeia e Portuguesa e Estudos sobre a Organização do Tratado do Atlântico Norte.

Ana Marisa Oliveira

Candidata #20

Ana Marisa Oliveira, 28 anos, casada, natural de Santa Maria da Feira e residente em Almada. Terapeuta Ocupacional de profissão, especializada em Cuidados Continuados e Paliativos. Defensora de causas e pessoas.

 

Ricardo Francisco

Candidato #21

Ricardo Francisco, Economista de formação, trabalhou como gestor em telecomunicações e agora em Energia. Como consultor e empreendedor trabalhou em Espanha, Brasil e Angola. Co-autor do livro ‘O Economista Insurgente’ e do blog O Insurgente.

Mónica Coelho

Suplente #1

Mónica Coelho, natural de Coimbra, licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade da Beira Interior. Vive em Lisboa há 14 anos, o mesmo tempo de experiência como Consultora de Comunicação. Com formação em Marketing pelo IPAM – The Marketing School e, recentemente, em Coaching Executivo, certificada pela Internacional Coaching Federation. ​

Bruno Horta Soares

Suplente #2

Bruno Horta Soares, profissional com experiência nas áreas de auditoria e consultoria de Sistemas de Informação trabalha atualmente como Senior Advisor para os temas da Transformação Digital e Segurança da Informação. É professor convidado em várias universidades, colabora com diversas associações profissionais e é keynote speaker em conferências nacionais e internacionais. É membro fundador da Iniciativa Liberal.

Leonor Dargent

Suplente #3

Leonor Dargent, natural de Beja, estuda Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Demonstrou, desde sempre, interesse na discussão e participação cívica, tendo representado Portugal em eventos internacionais para jovens com a 80ª Sessão Internacional do Parlamento Europeu dos Jovens e no 8º Modelo de Cimeira ASEM, e fazendo atualmente parte da direção da Sociedade de Debate da Universidade de Lisboa.

Miguel Ferreira da Silva

Suplente #4, membro fundador e primeiro Presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal (2017-2018)

Miguel Ferreira da Silva, Jurista

Angélique da Teresa

Suplente #5

Angélique da Teresa, Responsável de Marketing e Comunicação. Luso-francesa e europeísta convicta.

Carlos Guimarães Pinto

Suplente #6, Presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal

Carlos Guimarães Pinto, Professor

CONTACTOS

Direcção de Campanha – europeias@liberal.pt
Outra informaçao – info@liberal.pt
Donativos – https://iniciativaliberal.pt/donativos/