No mundo inteiro, onde a liberdade económica tem aumentado nas últimas décadas como a Iniciativa Liberal defende, menos de 10% da população vive em condições de pobreza extrema. Na Venezuela, mais de 60% da população vive em pobreza extrema!

Maduro uma vez tinha referido que havia dois sistemas: o capitalista neoliberal que supostamente tudo iria destruir e o socialista “chavista” que é centrado no povo. Ora, os resultados de cada sistema, ou pelo menos do caminho para cada um, estão à vista. Os resultados, independentemente das intenções, são claros. Falta de Liberdade Económica causa pobreza. Socialismo causa miséria.

Na Venezuela não há medicamentos, nem há comida. Há cada vez menos cães e gatos, porque as pessoas têm de os matar para sobreviver. O crime não pára de aumentar. A Venezuela tem a taxa de homicídios mais elevada do mundo. Inúmeros opositores do regime foram mortos, sobretudo pelas milícias criadas por Maduro, e muitos mais estão presos. A censura – não só em TVs, rádio e jornais, mas também já na Internet – intensifica-se.

Em Portugal, todos os que defenderam, elogiaram ou, não apoiando, também não criticaram o que estava a acontecer na Venezuela já há muitos, muitos, anos devem ser lembrados: o PCP, que continua o seu apoio cego; o BE, que entretanto já se arrependeu; o PS, que com Sócrates até o Magalhães queria ter na Venezuela tal era a proximidade da relação; e mesmo o anterior Governo de PSD e CDS teve um Ministro, por acaso líder do CDS, Paulo Portas, a elogiar o regime Venezuelano e até a considerar Chávez um “amigo de Portugal”.

Há sensivelmente uma semana, a Iniciativa Liberal promoveu e participou numa manifestação pela Venezuela (e obviamente contra Maduro) em vários pontos do país. Fomos o único partido a fazê-lo oficialmente, ainda com mais vontade depois de um apelo de um elemento da comunidade luso-venezuela que temia que a pouca ou nenhuma cobertura mediática em Portugal sobre o evento ditasse uma mobilização fraca.

Voltamos a fazer o mesmo agora. Dia 2 de Fevereiro há manifestação mundial pela Venezuela e, com isso, várias manifestações pelo país – das 16h às 18h:

  • Lisboa, Praça do Comércio
  • Porto, Praça da Liberdade
  • Madeira, Praça do Município
  • Aveiro, Praça do Rossio
  • Faro, Parque de Lazer

#JuntosSomosAlternativa por um #PortugalMaisLiberal e uma #VenezuelaLivreDoSocialismo